Fish

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Células Tronco

Fonte: Vídeo-aula "Células Tronco"
EducaBahia

As células tronco são a grande promessa para a medicina do século XXI.

Para entendermos o que é uma célula tronco, primeiro precisamos lembrar que um organismo pluricelular como, por exemplo, o ser humano é formado por trilhões de células. Mas essas várias células que compõem o corpo de um indivíduo não são todas iguais. Nossas células são diferentes umas das outras. Elas apresentam especializações.

O que são células especializadas?
São aquelas que executam no organismo uma determinada função, uma função específica. Por exemplo:
  1. As células de nossas fibras musculares tem a função de realizar a contração para que possamos executar movimentos.
  2. Já nossos neurônios propagam estímulos elétricos que nós chamamos de impulsos nervosos.
  3. As hemáceas fazem o transporte de gases principalmente o oxigênio através da corrente sanguínea.
Cada célula do nosso corpo humano tem um tipo de "profissão". Elas são especializadas para determinadas funções que ela deve realizar paa o bem do corpo como um todo. Mas nem todas as células apresentam-se especializadas. Existem células que, são exatamente as células tronco, são indiferenciadas como células não especializadas. São células que ainda não apresentam uma função particular. Ainda não apresentam no organismo uma profissão definida. Essas células que nós chamamos de células tronco, apresentam uma grande vantagem chamada de "potencialidade".
Elas tem o potencial de se transformar. Elas podem dar origem à qualquer outro tipo de célula. Então, por exemplo, uma célula tronco pode se diferenciar e originar um neurônio e passar a propagar impulsos nervosos. Ou então uma célula tronco pode se especializar em realizar o transporte de gases e originar uma hemácea.
É isso que a célula tronco traz. Uma grande esperança para a medicina. Essa capacidade de originar outras células e formar os diversos tecidos que compôem o corpo de um indivíduo como o ser humano. No entanto é importante que saibamos que há dois tipos de células tronco:
De um lado as Células Tronco Embrionárias e do outro as Células Tronco Adultas.

Células Tronco Embrionárias
Como o proprio nome diz, as células tronco embrionárias estão presentes no embrião.Para entendermos melhor é válido lembrar que todos nós surgimos a partir de um embrião. É a união do gameta sexual masculino (espermatozóide) com o gameta sexual feminino (óvulo) que resulta em uma única célula: O Ovozigoto.
Essa célula, através de divisões mitódicas (células duplicadas com DNA duplicado) acaba originando um pequeno embrião que com apenas cinco dias é chamado de Blastocisto. É nesse período que o embrião chega ao útero materno e se implanta no endométrio (camada interna do útero) para dar início ao processo de gestação.
Nessa fase de blastocisto (embrião com cinco dias) pode-se observar uma camada externa de células que dará origem à placenta e também uma camada interna de células, uma massa celular interna onde estão as células tronco embrionárias. São essas células que podem ser utilizadas pela medicina na terapia para regeneração de tecidos. Essas células tronco embrionárias apresentam uma grande vantagem. Elas são Pluripotentes.
Pluripotentes indica que essas células tronco tem uma grande versatilidade. Elas podem originar praticamente todos os tipos de células especializadas. Todos os tecidos do nosso corpo. Ou seja, para simplificar, uma célula tronco embrionária pluripotente pode dar origem a um neurônio, a uma fibra muscular, a uma célula óssea, a uma célula hepática. Não há limites. Elas possuem uma grande versatilidade.

Células Tronco Adultas
Por outro lado, as células tronco em seres adultos como eu e você, também estão presentes em determinados locais do corpo humano. Por exemplo: Nós temos células tronco no interior dos ossos (medula óssea), na polpa dentária, no cérebro, na pele ou no fígado. Essas células presentes nos tecidos e órgãos de organismos adultos são denominadas como "células tronco adultas". Porém essas células não são tão versáteis como as células tronco embrionárias. Elas não são pluripotentes e sim multipotentes. Elas podem originar apenas alguns tipos de células especializadas. Elas não podem originar todos os ecidos do corpo.
Mas vale lembrar um exemplo importante: De todas as células tronco adultas a célula mais estudada, a célula mais requisitada é a célula tronco hematopoiética que é a célula tronco da medula óssea, encontrada no interior dos nossos ossos podem originar células do tecido sanguíneo (leucócitos, hemáceas ou plaquetas sanguíneas), mas normalmente não origina células de outros tecidos, exceto em condições especiais de laboratório.

Diferenças entre as duas células tronco:
A grande diferença entre células tronco embrionárias e células tronco adultas é que as embrionárias são pluripotentes, são versáteis e originam todo o tipo de célula especializada de tecidos ou de órgãos. As adultas são multipotentes e originam apenas algumas células especializadas. Por isso elas não são tão versáteis assim.

Uso prático das células tronco
Agora que já temos idéia do que são as células tronco é importante destacar a sua grande importância na medicina. Elas estão sendo utilizadas para tratamento de doenças tanto traumáticas quanto degenerativas quando é necessária a regeneração de órgãos e tecidos.
Um excelente exemplo é:
Existe uma ligação que liga o cérebro às outras partes do corpo humano chamada de medula espinhal que é um órgão nervoso de forma tubular que passa dentro da coluna vertebral. Essa medula espinha feita de feixes nervosos não pode ser confundida com medula óssea que é o conteúdo do interior dos óssos e não faz parte do sistema nervoso como a medula espinhal.
A função da medula espinhão é propagar impulsos nervosos do cérebro para diversar partes do corpo permitindo a execução de movimentos.
Em alguns acidentes como os acidentes automobilísticos a medula espinhal pode ser danificada ao ponto de ser rompida. Uma lesão grave que causa paralisia. Se essa lesão for na parte superior da medula espinhal o acidentado perde os movimentos de todos os membros inferiores (braços e pernas) e a pessoa fica tetraplégica. Caso a lesão for mais abaixo dos braços, na região sacra por exemplo, a pessoa fica paraplégica (perde os movimentos das pernas)
Essas pessoas não perdem somente a capacidade de motricidade (capacidade de realizar movimentos), mas também perdem a sensibilidade, se tornam insensíveis.
O tecido nervoso não se regenera em condições normais. Nessa caso poderíamos pegar células tronco e transplantar para a região lesionada da medula espinhal. Essas células tronco alí colocadas, se diferenciariam em novos neurônios regenerando o tecido da medula espinhal e permitindo novamente a passagem de estímulos nervosos causando não só a volta da sensibilidade, mas possivelmente a restauração dos movimentos dos membros. Essa é uma das grandes esperanças das células tronco.
Da mesma forma poderíamos tratar de uma pessoa que sofreu um ataque do miocárdio. Poderíamos transplantar células tronco para o coração danificado. Sabemos que num enfarte, uma parte do coração entra em necrose por falta de irrigação sanguínea e o miocárdio também não é capaz de regeneração. Através de implantes de células tronco o músculo cardíaco poderia ser renovado e as pessoas com lesões cardíacas poderiam adiquirir um coração restaurado com capacidade de contrair os músculos do miocárdio novamente. Assim teriam uma qualidade de vida melhorada.
A célula tronco é a esperança para a cura de diversas doenças como o Mal de Parkinson, o Mal de Alzheimer, queimaduras, diabetes, doenças cardíacas como o Mal de Chagas e tantas outras.
Porém é importante lembrar que o uso das células tronco requer uma ética profissional. Exige questões morais que devem ser debatidas socialmente

Nenhum comentário: